PROJETO LARGAR AS FRALDAS


 HORA DE LARGAR AS FRALDAS(?)
Desde o dia vinte e cinco de MAIO (26⁄05) começamos efetivamente o PROJETO TIRA-FRALDAS na turminha do Maternal. Passamos um informativo para os pais que irão colaborar incentivando seus pequeninos nos momentos em que estiverem em sua presença. Quando as crianças estiverem na creche, a professora⁄educadora se tornará fundamental no processo de deixar as fraldas. A escola e os pais têm de estar em sintonia, no mesmo momento.
 
A parceria com os pais é fundamental para que este projeto seja sucesso. É preciso que a criança esteja pronta para isto, o que acontece só por volta dos dois anos. Também é necessário estar atento aos sinais que mostram que seu filho está preparado, como o fato de ele já perceber quando está com vontade de fazer suas necessidades fisiológicas (xixi ou cocô).
 
RETIRANDO AS FRALDAS NO MOMENTO CERTO
 
A retirada das fraldas só ocorrerá pouco a pouco, quando a criança começa a perceber que é capaz de controlar certas funções do organismo - entre elas, a do esfíncter que é um músculo do ânus e da bexiga, que, em geral, amadurecem entre os 18 e os 36 meses. Cabe aos pais ou no caso da criança estar na creche, manter a atenção e ficar de olho neste amadurecimento do pequenino.
Pois é exatamente neste período que eles devem começar a ensinar ao bebê a abandonar as fraldas, introduzindo informações sobre o penico e o vaso sanitário, sempre sem deixar transparecer qualquer tom de obrigação e cobrança.
Por isso, recomenda-se iniciar o processo quando ele já tiver mais de dois anos. Porém, cada criança tem o seu "tempo". Respeite-o! Este rítmo deve ser respeitado, pois cada criança tem suas próprias características, personalidades e diferentes tipos de amadurecimento e desenvolvimento.
 
A escolha do momento certo: o ritual de iniciação
 
Não se pode treinar uma criança para retirar as fraldas até que ela esteja preparada fisicamente. Porém, assim que ela mostrar sinais de que é capaz (em termos de desenvolvimento) e revelar vontade emocional, aí o processo é bem rápido.
Segundo o site da Johnson & Johnson o processo da retiradadas fraldas deve ter um “ritual de iniciação” que deve ser da seguinte maneira:
  • Convém deixar o troninho ou o peniquinho visível e disponível no banheiro durante alguns meses antes do início formal do treinamento, a fim de permitir que seu filho se acostume a se sentar nele e até, ocasionalmente, utilize-o com êxito, o que é um bom começo.
  • Repare nos horários em que ele costumava sujar a fralda;
  • Acompanhe-o sempre ao banheiro e espere no máximo 10 minutos, sempre tentando não deixá-lo impaciente;
  •  Caso não aconteça nada, não fique nervoso. É natural e faz parte do aprendizado. Deixe-o voltar aos afazeres e brincadeiras cotidianos, mas repita a tentativa mais tarde.
  • Repita este passo a passo, ida a ida ao banheiro, até você notar a evolução de seu pequeno. Quando ele conseguir avisar que quer ir ao banheiro antes que as fraldas apontem para isso, dê os parabéns a ele.
  • Do contrário, não o xingue ou repreenda. Se isto ocorrer transformará a ida ao banheiro em uma obrigação só vai piorar o desenvolvimento da criança. E esta deve ser uma fase gostosa e saudável, não é mesmo?
  • Em caso de dúvidas, converse com seu pediatra. Ele é a pessoa indicada para responder todas as suas perguntas.
Estudos mostram que muitas crianças que iniciaram o treino para o banheiro antes dos 18 meses não completaram esse processo antes dos quatro anos, enquanto as que começaram por volta dos dois anos estavam totalmente adaptadas antes dos três.
O pediatra norte-americano T. Berry Brazelton, autor de Tirando as Fraldas (Editora Artmed), afirma que a transição da largada das fraldas dificilmente ocorre num passe de mágica. Algumas dicas devem ser levadas em conta neste processo para superar as possíveis dificuldades:
a) Primeiro retira-se a fralda diurna (depois que a criança estiver pronta, será o processo do noturno).
b) Mantenha o peniquinho sempre no mesmo lugar, de preferência no banheiro.
c) Observe os horários que seu filho faz cocô ou xixi e lembre-se de levá-lo ao banheiro nesses momentos. Também pergunte-o, mais ou menos a cada duas horas, se ele precisa ir fazer xixi. Observe se ele está "dançando" ou fechando as perninhas ou segurando as genitais com a mão. Este é um sinal de que ele está apertado, mas não quer deixar a brincadeira para depois.
d)Elogios são fundamentais neste momento, porém não exagere.
 
e) Não imponha punições, pois estas podem assustar e causar transtornos físicos, como a constipação como afirmam alguns pediatras. A melhor maneira é  incentição. Acidentes são inevitáveis, mas serão poucos, se seu filho estiver preparado para se controlar. Lembre-se sempre de elogiar os esforços e as tentativas corretas e, quando ele falhar, mostre novamente a ele, com delicadeza, para que serve o peniquinho. Troque-o e não faça estardalhaço. Uma reação negativa pode deixá-lo ressentido e sem vontade de tentar de novo.
f) Algumas crianças ficam tão preocupadas com o destino do seu "produto", que relutam em abrir mão de fazer o cocô na fralda porque sofrem quando ele vai embora. Enquanto isso, deixe-a fazer na fralda, mas mostre qual é o lugar adequado do cocô, esvaziando a fralda no vaso. Se for preciso, faça um tchau, para a situação ficar mais divertida.
g) Se você acha que seu filho está pronto (e você também é claro!), chegou a hora
Finalmente, largar as fraldas e aprender a usar a privada não é tarefa fácil, nem para as crianças nem para os pais e muito menos para os professores. Essa é uma fase que envolve planejamentos e mudanças na rotina - afinal, ter de mandar dez cuecas ou calcinhas e dez shorts por dia para a escola do filho não é atividade corriqueira…
Especialistas advertem: os pais não devem pressionar os filhos a largar as fraldas. Afinal, tudo tem seu tempo. Mas eles devem preparar as crianças para esse momento.Os especialistas concordam que a retirada deve ser iniciada, no mínimo, quando a criança tiver o poder de locomoção e fala — ainda que sejam palavras básicas. A criança precisa saber pedir para ir ao banheiro ou avisar que está ‘‘suja’’ aos pais. Afirmam os pediatras. A partir desse momento, os pais ou as ‘‘tias’’ da escola podem iniciar o treinamento.
Portanto, pais e professores, estaremos sempre a postos a este processo que poderá ou não ser demorado, porém, terá de ser feito. Contamos com todos neste momento.
 
FONTES:
 
 
 
 
 
 
BIBLIOGRAFIA

BRAZELTON. T. B, SPARROW. J. D.  , Criança e a Higiene - Editorial Presença:2004

CHARLAT. B, Cocô no Trono, Editora: Companhia das Letrinhas:2006
 
GRIFFEY. H, Guia Passo a Passo para os Pais: Seu Filho de 2 a 3 anos
Editora: Publifolha, 2004

Videos mais exibidos no Youtube

Loading...

REGISTRE-SE NO BLOG !

INSCREVA-SE PARA RECEBER AS NOVIDADES DO BLOG