PROJETO HORTA


Projeto HORTA*


Um terreno baldio dentro da escola. Em muitos lugares isso poderia ser um grande empecilho, servir indevidamente como depósito de lixo ou como "área de concentração inadequada de alunos". Mas na Escola Estadual Professora Fleurides C. Menechino, em Adamantina, interior de São Paulo, o problema virou solução. Os estudantes e a professora de Ciências, Maria Amélia Wolff Ferreira, transformaram o local ocioso em uma horta.

O projeto teve início em agosto de 2003, com aproximadamente 30 alunos das oitavas séries, mas, ao todo, 320 estudantes participam esporadicamente das atividades. Com a orientação da professora, eles limparam o terreno de 800 m², instalaram a irrigação, adubaram a terra e iniciaram o plantio. "A horta virou o assunto da escola, todos querem cuidar dela", conta a professora Maria Amélia. De manhã, nos intervalos das aulas, os estudantes se dividem em pequenos grupos para irrigar as hortaliças. No período da tarde, todos os dias, cerca de dez alunos vão à escola voluntariamente para dedicar duas horas e meia ao cultivo de alface, rúcula, almeirão, cenoura, mostarda, chuchu, espinafre, etc. A produção é utilizada na merenda da escola e o restante dividido entre os participantes do projeto. "Nos períodos de férias, doamos tudo o que colhemos para a Santa Casa de Misericórdia de Adamantina. Eles recebem mais ou menos 30 quilos de verdura por semana", diz a professora. A interação entre os moradores da cidade e o projeto beneficia a todos. Através de parcerias com a comunidade, a escola ganhou mangueiras, palanques, adubos, sementes e ferramentas.

A prática desperta o interesse


Além de complementar a merenda escolar e a alimentação de algumas famílias, o Projeto Horta tem sido um verdadeiro laboratório ao ar livre para as aulas de Química, Física, Biologia e Matemática. Os alunos aprendem, na prática, temas como nutrientes do solo, luminosidade, temperatura, fotossíntese, desenvolvimento de plantas, a vida dos insetos e medidas de áreas. "Essas experiências ao vivo despertam o interesse pelas aulas. Os estudantes pesquisam e debatem mais os assuntos. O aprendizado deles melhorou muito", afirma Maria Amélia. Ela também desenvolveu uma apostila para ensinar os alunos a montarem suas próprias hortas no quintal de casa. A distribuição desse material faz sucesso na escola. "Todos me pedem e muitos já estão cultivando seus canteiros", conta, orgulhosa, a professora.

Para implantar o projeto na sua escola, você vai precisar de:

•Um terreno para desenvolver a horta.
•Apoio dos alunos, dos outros professores e da comunidade.
•Recursos como palanques, arames, adubos, sementes e ferramentas necessárias ao cultivo de hortaliças.
•Parcerias com os comerciantes locais.
•Ajuda de instituições que tenham cursos de Agronomia ou Técnicas Agrícolas. Talvez eles tenham alunos interessados em auxiliar sua escola na organização da horta.

Veja algumas dicas da professora Maria Amélia para organizar uma horta

•O tamanho da horta deve ser calculado para produzir hortaliças suficientes para o consumo de toda a escola. Calcule sempre 10 m² por pessoa.
•Escolha o melhor local observando se o terreno é plano ou levemente inclinado, livre de ventos fortes e frios, um local que receba luz do sol a maior parte do dia, perto de poço ou fonte e livre de inundações.
•Não deixe de cercar o espaço da hora, isso evita estragos de animais domésticos.
•Consiga boas ferramentas e comece o plantio.
As vantagens de ter uma horta em sua escola

•Fornece vitaminas e minerais importantes à saúde dos alunos.
•Diminui os gastos com alimentação na escola.
•Permite a colaboração dos estudantes, enriquecendo o conhecimento deles.
•Estimula o interesse das crianças pelos temas desenvolvidos com a horta.

*Karen Jardzwski 

Videos mais exibidos no Youtube

Loading...

REGISTRE-SE NO BLOG !

INSCREVA-SE PARA RECEBER AS NOVIDADES DO BLOG