CANTIGAS POPULARES


QUADRINHAS POPULARES

1. Batatinha quando nasce
Espalha rama pelo chão
Menininha quando dorme
Põe a mão no coração
2. Eu pedi um copo d´água
me trouxeram na caneca
isso mesmo que eu queria
cinturinha de boneca


3. Eu sou pequenininha
do tamanho de um botão
carrego papai no bolso
e mamão no coração


4. Eu sou pequenininha
Da perninha grossa
Vestidinho curto
Papai não gosta


5. Menina bonita
Do laço de fita
Me diz o que faz
pra ficar tão bonita


6. A sempre-viva quando nasce
toma conta do jardim.
Eu também quero arranjar
Quem tome conta de mim.






7. Você de lá eu de cá,
ribeirão passa no meio.
Você de lá dá um suspiro,
eu de cá, suspiro e meio.


8. Isto parece mentira,
mas é verdade patente:
a gente nunca se esquece
de quem se esquece da gente.


9. Uma me disse sim,
outra não me respondeu.
A que sim, queria ela.
A que não, queria eu.
Menina de olhos de fada,
me dá água pra beber?
Não é sede, não é nada,
é vontade de te ver.



10. Não tenho medo do homem
Nem do ronco que ele tem
O besouro também ronca
Vai se vê, não é ninguém



11. Lá no céu tem três estrelas
Vestidinhas de nobreza
Quem quiser casar comigo
Não repare minha pobreza


14. Cravo branco na janela
É sinal de casamento
Menina tira seu cravo
Inda não chegou seu tempo


15. Baixa baixa serraria
Que eu quero ver a cidade
Meu amor aqui tão perto
E eu morrendo de saudade


16. Amanhã eu vou-me embora
Pela semana que vem
Quem não me conhece chora
Que fará quem me quer bem


17. Marmelo é fruta gostosa
Onde dá na ponta da vara
Mulher que chora por homem
Não tem vergonha na cara


18. Eu plantei um pé de rosa
Para te dar um botão
O pé de rosa morreu
Eu te dou meu coração


19. Mandei buscar na botica
Remédio para uma ausência
Me mandaram uma saudade
Coberta de paciência

20. Lá do céu caiu um cravo
De tão alto desfolhou
Quem quiser casar comigo
Vai pedir quem me criou

21. A folha da bananeira
De tão verde amarelou
O beijinho de meu bem
De tão doce açucarou


22. Esta noite eu tive um sonho
Mas, ó que sonho atrevido
Sonhei que estava abraçado
Com a forma de seu vestido


23. Essas meninas de agora
Só sabem namorar
Botam a panela no fogo
E não sabem temperar


24. Em cima daquela serra
Tem um banco de areia
Onde assenta mulher velha
Pra falar da vida alheia


25. Bate bate coração
Arrebenta este peito
Como cabe tanta mágoa
Num espaço tão estreito?


26. Ninguém viu o que vi hoje
Um macaco fazer renda
E também vi um peru
Ser caixeiro numa venda

27. Amanhã eu vou-me embora
É mentira não vou não
Quem vai embora é meu corpo
Mas não vai meu coração


28. Lá no céu está trovejando
Mas não é para chover
Meu benzinho está doente
Mas não é para morrer


29. Quem tiver o segredo
Não conte à mulher casada
A mulher conta ao marido
O marido à rapaziada


30. Mamãe me chamou de feia
Ela só quer ser formosa
Ela vai ser roseira
Eu vou ser botão de rosa

31. Joguei meu chapéu pra cima
Para ver onde caía
Caiu no colo da velha
Cruz em credo, Ave Maria!


32. Quem me dera estar agora
Lá no mato, no sertão
Onde está minha saudade
Onde está meu coração




33. Quando vim de minha terra
Muita gente lá chorou
Só uma velha muito velha
Muita praga me rogou


34. O anel que tu me deste
Era de vidro e quebrou
O amor que tu me tinhas
Era pouco e já acabou


35. Lá vai a garça voando
Com as penas que Deus lhe deu
Contando pena, por pena
Mais pena padeço eu


36. Um coqueiro de tão alto
Que dá coco na raiz
Uma moça bonitinha
Com três palmos de nariz


37. Lá no céu tem três estrelas
Todas três encarrilhadas
Uma é minha, outra é sua
Outra de minha namorada


38. Eu joguei meu limão verde
Numa moça na janela
O limão caiu no chão
E eu caí no colo dela






39. Menina toma esta uva
Da uva faça seu vinho
Seus braços serão gaiola
Eu serei seu passarinho


40. Atirei meu limão verde
Lá atrás da sacristia
Deu no ouro, deu na prata
Deu na moça que eu queria


41. Em cima daquela serra
Tem um velho fogueteiro
Quando vê moça bonita
Fica todo regateiro


42. Sete cravos sete rosas
Na ponta de um alfinete
Meu benzinho está no meio
Servindo de ramalhete


43. Adeus plantas, adeus rios
Adeus gente do lugar
Vou partindo, vou chorando
Com vontade de voltar


44. Sete e sete são quatorze
Com mais sete vinte e um
Soletra quem sabe ler
A paixão de cada um





45. Sete e sete são quatorze
Com mais sete vinte e um
Tenho sete namorados
Mas não gosto de nenhum


46. Se eu soubesse da certeza
Que meu bem vinha cá hoje
Eu varria a casa cedo
Semeava pó de arroz


47. Em cima daquela serra
Tem um caldeirão de ferro
Quem falar de minha vida
Está na porta do inferno


48. Você disse que vai embora
Eu também já quero ir
Você disse não vai mais
Eu também “arresorvi”


49. Em cima daquela serra
Tem um pé de papaconha
Tira a folha e lava a cara
Descarado sem vergonha


50. Eu não dou a mão rapaz
Nem que seja meu parente
Porque rapaz tem o defeito
De apertar a mão da gente
51. Eu tenho um vestidinho
Todo cheio de babado
Toda vez que visto ele
Quarenta e cinco namorado


52. Não me chame boiadeiro
Não sou boiadeiro não
Sou tocador de boiada
Boiadeiro é meu patrão


53. Papagaio come milho,
periquito leva fama.
Cantam uns e choram outros,
triste sina de quem ama.



54. Tropeiro fala de burro,
vaqueiro fala de boi.
Jovem fala de namorada,
velho fala do que foi.


55. Não chore as rugas da face.
O tempo é justo, ele é franco.
Consola com teu cabelo,
todo pintado de branco.


56. Na janela do meu quarto
já tem lama sem chover.
De tanto chorarem meus olhos,
de saudades de você.






57. As estrelas do céu correm,
todas elas carreirinhas.
Assim correm os amores,
das tuas mãos para as minhas.


58. "Eu coloquei o meu nome
no teu relógio, querida!
Faça agora o que quiser
das horas da minha vida".



59. "Há quatro coisas da vida
que dão gosto pra viver:
amar e ser amado,
perdoar e esquecer"



60. "Sou jardineiro imperfeito,
pois no jardim da amizade
quando planto amor-perfeito
nasce sempre uma saudade"..


61. Lá no fundo do quintal
Tem um tacho de melado
Quem não sabe cantar verso
É melhor ficar calado.



62. Menina dos olhos grandes
Não olha tanto pra mim
Se não queres meu amor
Por que me olhas assim?
63. Eu amo a quem não me quer
E desprezo a quem me ama
Fujo de quem me procura
Quero bem a quem me engana.



64. Dia do Índio
Vivendo na selva
De arco na mão
O índio valente
Campeia o sertão.

 
65. Livro
Se esse livro for perdido
e, por acaso, for achado,
para ser bem conhecido,
leva meu nome assinado.


66. Xará
Índio do mato é Xavante.
Milho socado é Xerém.
E a gente chama Xará,
quem o mesmo nome tem.


67. "Se a saudade matasse
muita gente morreria;
e eu seria a primeira
que a saudade mataria".


68. Em causa própria
Joguei o limão para cima
Aparei com uma vassoura
Não há mulher mais linda
Do que a minha professora

69. Quem roubou o meu amor
Deve ser meu bom amigo
Comigo deixou a glória,
Levou trabalhos consigo



70. Um beija-flor já me disse
Outro mandou me dizer
Que no fim desta semana
Meu amor vinha me ver


71. Atirei um limão verde
Atrás da sacristia
Deu no cravo deu na rosa
Deu no moço que eu queria


72. Lá atrás daquele cerro
Onde o sol faz a mudança
Não te quis e não te quero
Vai perder essa esperança



73. Fui fazer minha cama,
Esqueci do cobertor.
Deus um vento na roseira,
Encheu minha cama de flor.


74. Mandei fazer um barquinho,
da casca do camarão.
O barquinho saiu pequeno,
só coube meu coração.

PARLENDAS


1 - Fui andando pelo caminho,
Éramos três.
Comigo quatro.
Subimos os três no morro.
Comigo quatro.
Encontramos três burros.
Comigo quatro.



2 - Bambalalão,
Senhor capitão,
Espada na cinta,
Sinete na mão.


3 - Batatinha quando nasce
Esparrama pelo chão,
A menina quando dorme
Põe a mão no coração.



4 - Cadê o toucinho
Que estava aqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Fugiu pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Está amassando trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Está botando ovo.
Cadê o ovo?
Quebrou!



5 - Quem cochicha
O rabo espicha,
Come pão
Com lagartixa.

 

6 - Fui à feira comprar uva,
Encontrei uma coruja.
Pisei no rabo dela,
Ela me chamou de cara suja.



7 - Fui ao botequim
Tomar café,
Encontrei um cachorrinho
De rabinho em pé.
Sai pra fora, cachorrinho,
Que eu te dou um pontapé!


8 - Meio-dia,
Panela no fogo,
Barriga vazia,
Macaco torrado,
Que vem da Bahia,
Panela de doce,
Para dona Maria.


9 - Minha mãe
Mandou bater
Nesse daqui,
Mas como
Eu sou teimoso
Vou bater
Nesse daqui.







10- O macaco foi à feira,
Não teve o que comprar,
Comprou uma cadeira
Pra comadre se sentar.
A comadre se sentou,
A cadeira esborrachou.
Coitada da comadre,
Foi parar no corredor.

 

 

11 - Lá em cima do piano,
Tem um copo de veneno,
Quem bebeu morreu,
O azar foi seu!

 

 

12 - Dedo Mindinho,
Seu Vizinho,
Maior de todos,
Fura-bolos,
Cata-piolhos.

 

13 - Pisei na pedrinha,
A pedrinha rolou,
Pisquei pro mocinho,
O mocinho gostou,
Contei pra mamãe,
Mamãe nem ligou,
Contei pro papai,
Chinelo cantou.

 

14 - Rei, capitão,
Soldado, ladrão,
Moça bonita
Do meu coração.

 

15 - Sou pequenininho,
Do tamanho de um botão,
Carrego papai no bolso
E a mamãe no coração.

16 - Um,dois,feijão com arroz.
Três,quatro,feijão no prato.
Cinco , seis, chegou minha vez
Sete, oito , comer biscoito
Nove, dez , comer pastéis.


17- Papagaio luoro
Do bico dourado
Leva essa cartinha
Pro meu namorado
Se tiver dormindo
Bate na porta
Se tiver acordado
Deixe o recado.
Chuva e sol, casamento
de espanhol.
Sol e chuva, casamento
de viúva.


18- Palminha
Palma, palminha,
Palminha de Guiné
Pra quando papai vié,
Mamãe dá a papinha,
Vovó bate cipó,
Na bundinha do nenê.


19- Homem com homem
Mulher com mulher
Faca sem ponta
Galinha sem pé


20- Enganei um bobo
Na casca do ovo!

21- Vá à …
- Já fui e já voltei!
Burro que nem você nunca encontrei

22- Zé Capilé!
Tira bicho do pé
Pra tomar com café!

23- Aparecida! (ou Cida!)
– Come casca de ferida
Amanhecida!


24– Cala a boca já morrei
Quem manda em você sou eu!
- Coco pelado
Caiu no melado
Quebrou uma perna
Ficou aleijado


25- Uni, duni, tê,
Salamê, mingüê,
Um sorvete colorê,
O escolhido foi você!


26- Eu sou pequena,
Da perna grossa,
Vestido curto,
Papai não gosta

27- Por detrás daquele morro,
Passa boi, passa boiada,
Também passa moreninha,
De cabelo cacheado


28- Tropeiro fala de burro,
Vaqueiro fala de boi,
Jovem fala de namorada,
Velho fala que foi.


29- Era uma bruxa
À meia-noite
Em um castelo mal-assombrado
com uma faca na mão
Passando manteiga no pão

30- A sempre-viva quando nasce,
toma conta do jardim
Eu também quero arranjar
Quem tome conta de mim


31- O Papagaio come milho.
Periquito leva a fama.
Cantam uns e choram outros
Triste sina de quem ama.


32-  Borboletinha
Tá na cozinha
Fazendo chocolate
Para a madrinha
Poti, poti
Perna de pau
Olho de vidro
E nariz de pica-pau
Pau, pau

33- Amanhã é domingo,
Pé de cachimbo
Galo monteiro
Pisou na areia.
Areia é fina.
Que dá no sino.
O sino é de ouro.
Que dá no besouro.
O besouro é de prata.
Que dá na barata.
A barata é valente.
Que dá no tenente.
O tenente é mofino.
Que dá no menino.
O menino é danado.
Que dá no Soldado.
O Soldado é Valente.
Que dá na gente...







POESIAS



Colar de Carolina
Cecília Meireles

Com seu colar de coral,
Carolina
Corre por entre as colunas
Da colina.

O colar de Carolina
Colore o colo de cal,
Torna corada a menina.

E o sol, vendo aquela cor
Do colar de Carolina,
Põe coroas de coral

Nas colunas da colina



O Cavalinho Branco
Cecília Meireles

À tarde, o cavalinho branco
Está muito cansado:

Mas há um pedacinho do campo
Onde é sempre feriado.

O cavalo sacode a crina
Loura e comprida

E nas verdes ervas atira
Sua branca vida.

Seu relincho estremece as raízes
E ele ensina aos ventos

A alegria de sentir livres
Seus movimentos.

Trabalhou todo o dia, tanto!
Desde a madrugada!

Descansa entre as flores, cavalinho branco,
De crina dourada!



Leilão de Jardim
Cecília Meireles

Quem me compra um jardim

Com flores?

 

Borboletas de muitas

Cores,

 

Lavadeiras e pas-

Sarinhos,

 

Ovos verdes e azuis

Nos ninhos?

 

Quem me compra este ca-

Racol?

 

Quem me compra um raio

De sol?

 

Um lagarto entre o muro

E a hera,

 

Uma estátua da Pri-

Mavera?

 

Quem me compra este for-

Migueiro?

 

E este sapo, que é jar-

Dineiro?

 

E a cigarra e a sua

Canção?

 

E o grilinho dentro

Do chão?

 

(Este é meu leilão!)


 

 






O Mosquito Escreve
Cecília Meireles

O mosquito pernilongo
Trança as pernas, faz um M,
Depois, treme, treme, treme,
Faz um O bastante oblongo,
Faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
Faz um Q,
Faz um U, e faz um I.

Este mosquito
Esquisito
Cruza as patas, faz um T.
E aí,
Se arredonda e faz outro O,
Mais bonito.

Oh!
Já não é analfabeto,
Esse inseto,
Pois sabe escrever seu nome.

Mas depois vai procurar
Alguém que possa picar,
Pois escrever cansa,
Não é, criança?

E ele está com muita fome.



Sonhos da Menina
Cecília Meireles


A flor com que a menina sonha
Está no sonho?
Ou na fronha?

Sonho
Risonho:

O vento sozinho
No seu carrinho.

De que tamanho
Seria o rebanho?

A vizinha
Apanha
A sombrinha
De teia de aranha  . . .

Na lua há um ninho
De passarinho.

A lua com que a menina sonha
É o linho do sonho
Ou a lua da fronha?



O Menino Azul
Cecília Meireles


O menino quer um burrinho
Para passear.
Um burrinho manso,
Que não corra nem pule,
Mas que saiba conversar.

O menino quer um burrinho
Que saiba dizer
O nome dos rios,
Das montanhas, das flores,
— de tudo o que aparecer.

O menino quer um burrinho
Que saiba inventar histórias bonitas
Com pessoas e bichos
E com barquinhos no mar.

E os dois sairão pelo mundo
Que é como um jardim 
Apenas mais largo
E talvez mais comprido
E que não tenha fim.

(Quem souber de um burrinho desses,
Pode escrever
Para a Ruas das Casas,
Número das Portas,
Ao Menino Azul que não sabe ler.)










Ou Isto ou Aquilo
Cecília Meireles

Ou se tem chuva e não se tem sol
Ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
Ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
Quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
Estar ao mesmo tempo em dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
Ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo . . .
E vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
Se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
Qual é melhor: se é isto ou aquilo.



A Pombinha da Mata
Cecília Meireles


Três meninos na mata ouviram
Uma pombinha gemer.

"Eu acho que ela está com fome",
Disse o primeiro,
"e não tem nada para comer."

Três meninos na mata ouviram
Uma pombinha carpir.

"Eu acho que ela ficou presa",
Disse o segundo,
"e não sabe como fugir."

Três meninos na mata ouviram
Uma pombinha gemer.

"Eu acho que ela está com saudade",
Disse o terceiro,
"e com certeza vai morrer."

Vivacidade
Elias José
.
Galinha viva
pra continuar viva
não faz uma coisa:
negócio com raposa.

Rato que não dá rata,
rato que vê seu ato,
não chega nem perto
dapata de gato.

Sapo que é cobra
e sabe onde pões o pé,
não se aproxima de cobra
e fica longe do jacaré.

Menino sabido
sabe bem esse lema:
mocinho vence o bandido
só mesmo no cinema.




O Pato
Elias José

O pato perto da porta
o pato perto da pia
o pato longe da pata
o pato pia que pia

O pato longe da porta
o pato longe da pia
o pato perto da pata
é um pato que nem pia







Caixa mágica de surpresa
Elias José

Um livro
é uma beleza,
é caixa mágica
só de surpresa.

Um livro
parece mudo,
Mas nele a gente
descobre tudo.

Um livro
tem asas
longas e leves
que, de repente,
levam a gente
longe, longe

Um livro
é parque de diversões
cheio de sonhos coloridos,
cheio de doces sortidos,
cheio de luzes e balões.

Um livro é uma floresta
com folhas e flores
e bichos e cores.
É mesmo uma festa,
um baú de feiticeiro,
um navio pirata do mar,
um foguete perdido no ar,
É amigo e companheiro.








Tem Tudo a Ver
Elias José


A poesia
tem tudo a ver
com tua dor e alegrias,
com as cores, as formas, os cheiros,
os sabores e a música
do mundo.

A poesia
tem tudo a ver
com o sorriso da criança,
o diálogo dos namorados,
as lágrimas diante da morte,
os olhos pedindo pão.

A poesia
tem tudo a ver
com a plumagem, o vôo e o canto,
a veloz acrobacia dos peixes,
as cores todas do arco-íris,
o ritmo dos rios e cachoeiras,
o brilho da lua, do sol e das estrelas,
a explosão em verde, em flores e frutos.

A poesia
— é só abrir os olhos e ver —
tem tudo a ver
com tudo.









A casa e o seu Dono
Elias José

Essa casa é de caco
Quem mora nela é o macaco.

Essa casa tão bonita
Quem mora nela é a cabrita.

Essa casa é de cimento
Quem mora nela é o jumento.

Essa casa é de telha
Quem mora nela é a abelha.

Essa casa é de lata
Quem mora nela é a barata.

Essa casa é elegante
Quem mora nela é o elefante.

E descobri de repente
Que não falei em casa de gente.


No zoológico é proibido
Elias José

Dar pipoca à foca,
caco ao macaco,
garrafa à girafa,
pão ao leão,
diário do dromedário,
turbante ao elefante,
cano ao pelicano,
dardo ao leopardo,
hera à pantera,
dado ao veado,
broinha à doninha,
pente à serpente.




Nas ruas da cidade
Elias José


Lá na rua 21,
O pipoqueiro solta um pum.


Lá na rua 22,
O português diz : pois- pois .


Lá na rua 23,
João namora a bela inês .


Lá na rua 24,
A aninha tirou retrato.


Lá na rua 25,
Caiu um barraco de zinco.


Lá na rua 26,
O sorveteiro quer freguês .


Lá na rua 27,
Pedro chama a prima bete.


Lá na rua 28,
A verinha vende biscoito.


Lá na rua 29,
A molecada só se move .


Lá na rua 30,
Paro, pois a rima já num pinta .








Poema em IZ
Elias José

Dizem que Ana Beatriz

__ a mais bela atriz ,

Como todo mundo diz __

Por um triz

Não quebrou o nariz

Numa cena de amor infeliz

Que se passava num chafariz.



As palavras e os cinco sentidos
Elias José


Ah, as palavras auditivas:
sussurro, valsinha, ronco,
grilo, acalanto, fungado . . .

Ah, as palavras visuais:
arco-íris, carta, cartaz,
montanha, foto, circo . . .

Ah, as palavras olfativas:
flores, mata, mexerica,
poluição, cozinha, Teresa . . .

Ah, as palavras gustativas:
beijo, bebida, hortelã,
pé-de-moleque, licor, sorvete . . .

Ah, as palavras táteis:
mãos, abraços, ternura,
beliscar, frio, pisar . . .

Brincando de não-me-olhe
Elias José



Não me olhe de lado
que eu não sou melado.

Não me olhe de banda
que eu não sou quitanda.

Não me olhe de frente
que eu não sou parente.

Não me olhe de trás
que eu não sou satanás.

Não me olhe no meio
que eu não sou recheio.

Não me olhe na janela
que eu não sou panela.

Não me olhe da porta
que eu não sou torta.

Não me olhe do portão
que eu não sou leitão.

Não me olhe no olho
que eu não sou caolho.

Não me olhe na mão
que eu não sou mamão.

Não me olhe no joelho
que eu não sou espelho.

Não me olhe no pé
que eu não sou chulé.

Não me olhe de baixo
que eu não sou riacho.

Não me olhe de cima
que acabou a rima.





Rimas Malucas
Elias José

Cada macaco,
Com seu caco.

Cada galinha,
Com sua linha.

Cada vaca,
Com sua jaca.

Cada coelho,
Com seu espelho.

Cada gato,
Com seu rato.

Cada pato,
Com seu prato.

Cada marreco,
com seu eco.

Cada elefante,
Com seu turbante.

Cada leão,
com seu jubão.

Cada peru,
Com seu gluglu.

Cada tucano,
Com o seu cano.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES


DESENHO DE CAMINHÃO

ANTONIETA DIAS DE MORAES

LÁPIS, PAPEL, NUM MINUTO
ELE FEZ SEU AVIÃO
FEZ UM NAVIO MINÚSCULO,
FEZ TAMBÉM UM CAMINHÃO.

O NAVIO FOI AO FUNDO,
CAIU LONGE DO AVIÃO.
O MENINO DEU UM PULO,
ENTROU NO SEU CAMINHÃO.

QUEM TEM UM LÁPIS TEM TUDO,
ALEGRIAS DA INVENÇÃO,
TEM À FRENTE O VASTO MUNDO,
ESTRADAS PRO CAMINHÃO.

O MENINO JÁ TEM RUMO,
TEM CAMINHOS, CONDUÇÃO;
AGORA, VAI NUM SEGUNDO
DAR PARTIDA AO CAMINHÃO.


ATIVIDADES SOBRE A POESIA
ESCREVA O NOME DO TÍTULO E A AUTORA DA POESIA:
_____________________________________________________________________________________________________________________

DESENHE OS MEIOS DE TRANSPORTES DESCRITOS NO POEMA.









AGORA ESCREVA OS NOMES DELES ABAIXO?
_____________________________________________________________________________________________________________________
O QUE O MENINO UTILIZOU PARA DESENHAR OS MEIOS DE TRANSPORTE?
____________________________________________________

PARA IR À LUA
CECÍLIA MEIRELES

ENQUANTO NÃO TÊM FOGUETES
PARA IR À LUA,
OS MENINOS DESLIZAM DE PATINETE
PELAS CALÇADAS DA RUA.

VÃO CEGOS DE VELOCIDADE:
MESMO QUE QUEBREM O NARIZ,
QUE GRANDE FELICIDADE!
SER VELOZ É SER FELIZ.

AH! SEU PUDESSE SER ANJOS
DE LONGAS ASAS!
MAS SÃO APENAS MARMANJOS.








ATIVIDADES SOBRE A POESIA
ESCREVA O NOME DO TÍTULO E A AUTORA DA POESIA:
_____________________________________________________________________________________________________________________

EM QUE LOCAL OS MENINOS QUERIAM IR?
MARTE (     )                         SOL (       )                LUA (       )

JÁ QUE NÃO TINHA FOGUETES O QUE ELES RESOLVERAM FAZER?



E VOCÊ TEM VONTADE DE VIAJAR? QUAL O LUGAR? O QUE VOCÊ GOSTARIA DE LEVAR? COMO VOCÊ GOSTARIA DE IR?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O VESTIDO DA LAURA
CECÍLIA MEIRELES
O VESTIDO DE LAURA
É DE TRÊS BABADOS,
TODOS BORDADOS.

O PRIMEIRO TODINHO,
TODINHO DE FLORES
DE MUITAS CORES.

NO SEGUNDO, APENAS
BORBOLETAS VOANDO,
NUM FINO BANDO.

O TERCEIRO, ESTRELAS,
ESTRELAS DE RENDA
- TALVEZ DE LENDA....

O VESTIDO DE LAURA
VAMOS VER AGORA,
SEM MAIS DEMORA!

QUE AS ESTRELAS PASSAM,
BORBOLETAS, FLORES
PERDEM SUAS CORES.

SE NÃO FORMOS DEPRESSA
ACABOU-SE O VESTIDO
TODO BORDADO E FLORIDO!

ATIVIDADES SOBRE A POESIA
ESCREVA O NOME DO TÍTULO E A AUTORA DA POESIA:
_____________________________________________________________________________________________________________________
QUANTOS BABADOS TÊM O VESTIDO DE LAURA? FAÇA UM LINDO DESENHO DE CADA BABADO!












QUAL DOS BABADOS VOCÊ GOSTA MAIS? POR QUÊ?
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
O PEIXE TOMA BANHO
WALMIR AYALA

O PEIXE TOMA BANHO
SALTANDO A CADA INSTANTE,
USANDO POR CHUVEIRO
A TROMBA DO ELEFANTE.

ATIVIDADES SOBRE A POESIA
ESCREVA O NOME DO TÍTULO E O AUTOR DA POESIA:
______________________________________________________________________________________________________________________
VOCÊ GOSTA DE TOMAR BANHO? POR QUÊ?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
FAÇA A DOBRADURA DO PEIXE E DO ELEFANTE E COLE NO ESPAÇO ABAIXO:




COISAS ESQUISITAS
ELIAS JOSÉ

EU VI A BARATA NA CARECA DO VOVÔ.
ASSIM QUE ELA ME VIU,
BATEU ASA E VOOU.

EU VI UMA ABELHA
NO NARIZ DA VOVÓ.
A ABELHA OLHOU, OLHOU,
NÃO PICOU, POIS TEVE DÓ.

EU VI A COBRA
PERTO DO PÉ DA TITIA.
A COBRA VIA, MAS A TIA
NÃO VIA A COBRA, E SORRIA.

EU VI UM JACARÉ
DEITADO NA REDE.
O BOCÃO NÃO MORDEU
PORQUE ERA QUADRO DE PAREDE.




ATIVIDADES SOBRE A POESIA

ESCREVA O NOME DO TÍTULO E O AUTOR DA POESIA:
_____________________________________________________________________________________________________________________










DESENHE OS ANIMAIS QUE FAZEM PARTE DA POESIA.












O ELEFANTINHO
VINÍCIUS DE MORAES
ONDE VAIS, ELEFANTINHO
CORRENDO PELO CAMINHO
ASSIM TÃO DESCONSOLADO?
ANDAS PERDIDO, BICHINHO
ESPETASTE O PÉ NO ESPINHO
QUE SENTES, POBRE COITADO?
– ESTOU COM UM MEDO DANADO
ENCONTREI UM PASSARINHO!

ATIVIDADES SOBRE A POESIA
ESCREVA O NOME DO TÍTULO E O AUTOR DA POESIA:
____________________________________________________________________________________________________________________

DESENHE AO LADO DA POESIA OS ANIMAIS QUE APARECEM NELA.

POR QUE O ELEFANTINHO ESTAVA ASSUSTADO?
____________________________________________________________________________________________________________________

CIRCULE NO POEMA COM LÁPIS DE COR VERMELHO TODAS AS PALAVRAS TERMINADAS EM NH. DEPOIS COPIE-ASABAIXO E SEPARE AS SÍLABAS DESSAS PALAVRAS:

_______________________________________________
________________________________________________
________________________________________________
________________________________________________
________________________________________________
 CASA

ERA UMA CASA
MUITO ENGRAÇADA
NÃO TINHA TETO
NÃO TINHA NADA
NINGUÉM PODIA
ENTRAR NELA NÃO
PORQUE NA CASA
NÃO TINHA CHÃO
NINGUÉM PODIA
DORMIR NA REDE
PORQUE A CASA
NÃO TINHA PAREDE
NINGUÉM PODIA
FAZER PIPI
PORQUE PENICO
NÃO TINHA ALI
MAS ERA FEITA
COM MUITO ESMERO
NA RUA DOS BOBOS
NÚMERO ZERO.




ATIVIDADES SOBRE A POESIA
VOCÊ ACHA QUE ALGUÉM PODERIA MORAR NESSA CASA? POR QUÊ?
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

QUAL O NOME DA RUA E O BAIRRO EM QUE VOCÊ MORA?
_____________________________________________________________________________________________________________________
DESENHE SUA CASA NO ESPAÇO ABAIXO, NÃO SE ESQUEÇA DE MOSTRAR QUANTOS CÔMODOS TÊM A SUA CASA.

OS BICHINHOS E O HOMEM
NOSSA IRMÃ, A MOSCA
É FEIA E TOSCA
ENQUANTO QUE O MOSQUITO
É MAIS BONITO
É MAIS BONITO

NOSSO IRMÃO, BESOURO
QUE É FEITO DE COURO
MAL SABE VOAR
MAL SABE VOAR

NOSSA IRMÃ, A BARATA
BICHINHA MAIS CHATA
É PRIMA DA BORBOLETA
QUE É UMA CARETA
QUE É UMA CARETA

NOSSO IRMÃO, O GRILO
QUE VIVE DANDO ESTRILO
SÓ PRA CHATEAR
SÓ PRA CHATEAR

E O BICHO-DO-PÉ
QUE GOSTOSO QUE ELE É
QUANDO DÁ COCEIRA
COÇA QUE NÃO É BRINCADEIRA

E O NOSSO IRMÃO CARRAPATO
QUE É UM OUTRO BICHO CHATO
E PRIMO-IRMÃO DO BACILO
QUE É IRMÃO TRANQÜILO
QUE É IRMÃO TRANQÜILO

E O HOMEM QUE PENSA TUDO SABER
NÃO SABE O JANTAR QUE OS BICHINHOS VÃO TER
QUANDO O SEU DIA CHEGAR
QUANDO O SEU DIA CHEGAR


ATIVIDADES SOBRE A POESIA
DESENHE TODOS OS INSETOS QUE APARECEM NA POESIA.





PROCURE NO CAÇA-PALAVRAS OS NOMES DOS INSETOS E DEPOIS COPIE-OS EMBAIXO SEPARANDO AS SÍLABAS.
M
O
S
Q
U
I
T
O
D
F
B
A
R
A
T
A
E
R
B
E
S
O
U
R
O
D
F
G
R
I
L
O
D
B
O
R
B
O
L
E
T
A
G
R
E
S
D
G
B
I
C
H
O
D
O
P
É
É
P
U
F
E
R
F
F
G
H
C
A
R
R
A
P
A
T
O
B
R
E
F
D
R
F
F
G
T
R
E
D
F
M
O
S
C
A
D
____________________________   ___________________________
______________________________   __________________________
____________________________   __________________________
____________________________     _________________________

O GATO
COM UM LINDO SALTO
LESTO E SEGURO
O GATO PASSA
DO CHÃO AO MURO
LOGO MUDANDO
DE OPINIÃO
PASSA DE NOVO
DO MURO AO CHÃO
E PEGA CORRE
BEM DE MANSINHO
ATRÁS DE UM POBRE
DE UM PASSARINHO
SÚBITO, PÁRA
COMO ASSOMBRADO
DEPOIS DISPARA
PULA DE LADO
E QUANDO TUDO
SE LHE FATIGA
TOMA O SEU BANHO
PASSANDO A LÍNGUA
PELA BARRIGA.
ATIVIDADES SOBRE A POESIA
QUAIS OS ANIMAIS QUE APARECEM NA POESIA? DESENHO-OS NO ESPAÇO AO LADO DA POESIA.
__________________________________________________________
DE ACORDO COM A POESIA COMO O GATO TOMOU BANHO? VOCÊ ACHA QUE DESSA FORMA ELE FICOU LIMPINHO? POR QUÊ?
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
A FOCA
QUER VER A FOCA
FICAR FELIZ?
É POR UMA BOLA
NO SEU NARIZ.

QUER VER A FOCA
BATER PALMINHA?
É DAR A ELA
UMA SARDINHA.

QUER VER A FOCA
FAZER UMA BRIGA?
É ESPETAR ELA
BEM NA BARRIGA!

LIGUE DE ACORDO COM A POESIA:
QUE VER A FOCA FICAR FELIZ                                                É ESPETAR ELA BEM NA BARRIGA

QUE VER A FOCA BATER PALMINHA                                     É POR UMA BOLA NO SEU NARIZ

QUER VER A FOCA FAZER UMA BRIGA                                 É DAR A ELA UMA SARDINHA

PINTE DE LÁPIS DE COR VERDE TODAS AS PALAVRAS QUE FAZEM RIMA.
O CADERNO
TOQUINHO - MUTINHO

SOU EU QUE VOU SEGUIR VOCÊ
DO PRIMEIRO RABISCO ATÉ O BE-A-BÁ.
EM TODOS OS DESENHOS COLORIDOS VOU ESTAR:
A CASA, A MONTANHA, DUAS NUVENS NO CÉU
E UM SOL A SORRIR NO PAPEL.

SOU EU QUE VOU SER SEU COLEGA,
SEUS PROBLEMAS AJUDAR A RESOLVER.
TE ACOMPANHAR NAS PROVAS BIMESTRAIS, VOCÊ VAI VER.
SEREI DE VOCÊ CONFIDENTE FIEL,
SE SEU PRANTO MOLHAR MEU PAPEL.

SOU EU QUE VOU SER SEU AMIGO,
VOU LHE DAR ABRIGO, SE VOCÊ QUISER.
QUANDO SURGIREM SEUS PRIMEIROS RAIOS DE MULHER
A VIDA SE ABRIRÁ NUM FEROZ CARROSSEL
E VOCÊ VAI RASGAR MEU PAPEL.

O QUE ESTÁ ESCRITO EM MIM
COMIGO FICARÁ
 GUARDADO, SE LHE DÁ PRAZER.
A VIDA SEGUE SEMPRE EM FRENTE, O QUE SE HÁ DE FAZER.
SÓ PEÇO A VOCÊ UM FAVOR, SE PUDER:
NÃO ME ESQUEÇA NUM CANTO QUALQUER.

SUA PROFESSORA VAI COLOCAR O CD COM ESSA MÚSICA PARA VOCÊ CANTAR JUNTO.






FAÇA UMA LINDA ILUSTRAÇÃO DA MÚSICA.












VOCÊ CONCORDA QUE O CADERNO É SEU AMIGO? POR QUÊ? COMO VOCÊ CUIDA DO SEU CADERNO?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

AS BORBOLETAS
VINÍCIUS DE MORAES

BRANCAS
AZUIS
AMARELAS
E PRETAS
BRINCAM
NA LUZ
AS BELAS
BORBOLETAS

BORBOLETAS BRANCAS
SÃO ALEGRES E FRANCAS.

BORBOLETAS AZUIS
GOSTAM MUITO DE LUZ.

AS AMARELINHAS
SÃO TÃO BONITINHAS!

E AS PRETAS, ENTÃO...
O, QUE ESCURIDÃO!




















FAÇA AO LADO DA POESIA UMA LINDA ILUSTRAÇÃO.

COMPLETE A TABELA ABAIXO

PALAVRAS
LETRA INICIAL
LETRA FINAL
TOTAL DE LETRAS

BORBOLETAS





BRANCAS





AZUIS





PRETAS





AMARELAS





LUZ





ALEGRES





FRANCAS





BONITINHAS





ESCURIDÃO










PIRULITO
PIRULITO QUE BATE, BATE
PIRULITO QUE JÁ BATEU,
QUEM GOSTA DE MIM É ELA,
QUEM GOSTA DELA SOU EU.

PIRULITO QUE BATE, BATE
PIRULITO QUE JÁ BATEU,
A MENINA QUE EU AMAVA
COITADINHA JÁ MORREU.

CANTE JUNTO COM SUA PROFESSORA E COLEGAS ESSA MÚSICA!
QUANTAS VEZES A PALAVRA “PIRULITO” APARECEU NA MÚSICA?


RESPONDA O QUADRO ABAIXO:
PALAVRAS
LETRA INICIAL
LETRA FINAL
TOTAL DE LETRAS
TOTAL DE VOGAIS

PIRULITO






MORREU






MENINA






COITADINHA






AMAVA





OBSERVE A LETRA DA MÚSICA ESCRITA ABAIXO. ACHO QUE QUEM ESCREVEU AINDA NÃO SABE ESCREVER SOZINHA, ME AJUDE A CORRIGIR OS ERROS E ESCREVA A LETRA DA MÚSICA CORRETA ABAIXO!

CAICAI BALOA
CAI CAI BALOA, CAI CAI BALOA
NA RUA DO SABOA
NOA CAI NOA, NOA CAI NOA, NOA CAI NOA
CAI AQIU NA MINAH MOA!

CAI CAI BALOA, CAI CAI BALOA
AQIU NA MINAH MOA
NOA VOU LÁ, NOA VOU LÁ, NOA VOU LÁ
TENOH MEOD DE APANAHAR!


_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


OBSERVE A LETRA DA MÚSICA ESCRITA ABAIXO. ACHO QUE QUEM ESCREVEU AINDA NÃO SABE ESCREVER SOZINHA, ME AJUDE A CORRIGIR OS ERROS E ESCREVA A LETRA DA MÚSICA CORRETA ABAIXO!

CORE CTOIA
NA CSAA DA TIA
CORE CPIÓ
NA CSAA DA VÓ
LENICIHNO NA MOA
CAUI NO CÃHO
MOAÇ BOINAT
DO MEU COARÃÇO
POSSO JGOAR?
NOA!
NINGEUM VAI OLARH?
NOA!
JOGIEU!

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
OBSERVE A LETRA DA MÚSICA ESCRITA ABAIXO. ACHO QUE QUEM ESCREVEU AINDA NÃO SABE ESCREVER SOZINHA, ME AJUDE A CORRIGIR OS ERROS E ESCREVA A LETRA DA MÚSICA CORRETA ABAIXO!


ESCARVO DE JÓ JOAGVMA CAXANÁG
TIAR, BOAT DEXIA O ZÉ PERIERA FICRA
GUERRIEORS COM GUERRIEORS FAZME ZIGEU ZIGEU ZA (BIS)

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
MODELO DE CAÇA-PALAVRAS.
Pode-se pedir para os próprios alunos criarem os caça-palavras de acordo com o texto que está sendo trabalhado e eles trocam entre si ou a própria professora elabora.






































































































Videos mais exibidos no Youtube

Loading...

REGISTRE-SE NO BLOG !

INSCREVA-SE PARA RECEBER AS NOVIDADES DO BLOG